quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Feijão Branco com Dobrada

Esta comidinha já não se fazia cá em casa há algum tempo. Apesar de não gostar de dobrada (nem do cheiro que exala ao cozer :P), gosto muito deste pratinho...
As quantidades não indico porque cá em casa fazemos isto a olho.

Ingredientes:

Dobrada
cebola picada
sal
tomate (pd ser fresco ou polpa)
louro
tomilho
entremeada
feijão branco (previamente demolhado e depois cozido)
picante q.b.


Cozer primeiro a dobrada até ficar tenra. Depois fazer um refogado com a cebola, juntar o tomate e as ervas. De seguida, acrescentar as carnes e deixar alourar um pouco. Seguidamente adicionar a água e deixa-se cozinhar. Quando a carne já estiver cozida, acrescentar o feijão e deixar apurar em lume brando. Rectificar os temperos e adicionar um pouco de picante.
Servir com arroz branco.

Nota: podem acrescentar umas rodelas de chouriço ao feijão mas como não tinha cá não se colocou.

8 comentários:

Marlene e João disse...

Esse feijãozinho parece ser bem delicioso, tipo manteiga certo?
Está c óptimo aspecto miga!
Beijinhos doces**

Carina disse...

Que bom aspecto!!!!
É mesmo apropriado para estes dias mais frios!!!!

Beijocas amiga :)

Maria disse...

Um substancial prato de Inverno.
Bjns.

fénix renascida disse...

Parabéns por esse teu dom!

Em luta pelo direito de acompanharmos as nossas crianças, o nosso futuro!!!
A começar por esta petição. Um outra se seguirá, pedindo apoio ao Governo Português para acompanharmos os primeiros anos dos nossos filhos.
Tivesse eu mãos assim tão prendadas!!!

Mas o meu assunto é outro. Trata-se de saber a quem cabe a guarda dos filhos, em caso de separação: se à mãe (que é, regra geral, a sua figura primária ou de referência, por ser aquela que lhes presta praticamente todos os cuidados diários), se ao pai (que, regra geral, pode ser o que reúne melhores condições), ou se a ambos (estejam ou não de acordo, e independentemente de terem ou não uma boa relação).

Palavras sábias de um pai que ganhou, em tribunal, a custódia dos filhos: A tutela dos filhos é um empreendimento para a vida; não pode ser gerido por dois sócios que não se entendem. As pessoas não conseguem deixar de usar o seu poder para anular decisões e exercer pressões. É preferível que só um dos pais tenha a tutela, por muito que isso custe ao outro. A educação de uma criança não é passível de falhas.'

Ponhamos a mão na consciência: se a lei não permite que se separe as crianças de junto dos seus pais, mesmo que estes vivam em fracas condições, porque razão há-de um juíz atribuir a guarda ao progenitor que ofereça melhores condições? É este o superior interesse da criança?!

Urge reabilitar a maternidade, fazer com que as mães possam acompanhar mais de perto o desenvolvimento dos filhos!!!!

http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N575

Sónia Alexandra disse...

Eu fico com o feijão a dobrada dispenso. Beijinhso doces

Smsn - artes e ideias disse...

adoro

Anabela disse...

eu tambem não gosto da dobrada que por cá chamamos solas,mas gosto do resto e aquele molho com arrozinho,é optimo,bjs

Larana disse...

Uma delicia minha amiga, uma refeição bastante quentinha para o frio que andamos a sentir ultimamanete.

beijinhos doces minha querida:))